O II Encontro Incluir as Diferenças, que estava programado acontecer presencialmente, tem como objetivo fornecer um enfoque nas famílias e nos cidadãos com patologia mental e deficiência intelectual, nas suas necessidades e na promoção de bem-estar, com comportamentos explicativos e adaptativos – algo que é necessário colmatar na sociedade atual. Pretende-se transmitir informações às famílias, à população geral, aos intervenientes que com esta população interagem, bem como os técnicos e ajudantes que colaboram diretamente nas instituições.

Urge também, a sensibilização da comunidade, em particular as famílias, para a procura de ajuda institucional, sobretudo numa idade jovem onde é importante uma intervenção célere e eficaz, apostando na intervenção precoce e evitando ao máximo a progressão da sintomatologia psicótica que pode acarretar a degradação das relações familiares e do prejuízo da saúde do doente. O que frequentemente acontece, é que a procura de ajuda a nível institucional acaba por ser o último recurso e por vezes já em idades tardias. Cabe-nos mostrar ao público que as instituições conseguem ter programas terapêuticos e de reabilitação, onde visamos dar a conhecer técnicas de intervenção como a Terapia de Snoezelen e/ou a Terapia Assistida por Animais, numa tentativa de demonstrar que existe mais alguma coisa a fazer por estes pacientes, retirando o foco da intervenção psicoterapêutica e psicofarmacológica.

Esperamos dar a conhecer o que é o duplo diagnóstico aos familiares dos clientes da AACCB, aos próprios clientes e à comunidade em geral, dando enfoque às terapias de reabilitação física e psicossocial, mudando mentalidades, dando a conhecer a AACCB que trabalha com este tipo de população, garantindo apoio à reabilitação precoce e respondendo às necessidades das famílias que se veem desamparadas.            

Este II Encontro distingue-se pela temática abordada, na medida em que na AACCB e até no meio científico albicastrense, dificilmente se apresenta a deficiência intelectual em comorbilidade com a doença mental, como aconteceu no I Encontro em que se abordaram separadamente estas temáticas. Pretende-se inovar também pela apresentação de terapias que não se enquadram nos moldes tradicionais de intervenção.

Artigos recomendados